Monthly Archives: fevereiro 2012

Coca-cola e o urso polar

Coca-cola e o urso polar

Ação social ideal

Ação social ideal

Responsabilidade social já virou um quesito indispensável para empresas que buscam crescer e fazer diferença para seus clientes.

Toda ação social, logicamente, é bem vinda. Entretanto, quando estamos lidando com ações sociais promovidas por empresas, é necessário ter um cuidado com o direcionamento de suas campanhas. Para a melhor comunicação de uma marca é sempre interessante que a empresa considere ações que tenham efeito dentro do seu core business ou tenham a ver com a própria cultura organizacional da empresa.

As ações sociais promovidas pela empresa de cosméticos Natura seguem bem esta ideia. A empresa tem seus esforços sociais voltados para sustentabilidade e meio ambiente, preocupando-se com o cultivo e a extração de sua matéria-prima de forma ambientalmente correta, por exemplo. Uma tática bem elaborada para uma empresa que tem como maior discurso a consciência ambiental.

anuncio natura

Anúncio publicado no site da Natura

Em contrapartida, para uma marca de cerveja, que só pode ser voltada para o público adulto, não faria sentido ter uma campanha social em prol das crianças. Por mais que fosse com boas intenções, a percepção de uma campanha deste porte não teria impactos necessariamente positivos.

Esta forma de se direcionar no campo social é uma forma de reafirmar os ideais da marca e de explorar mais a fundo o próprio nicho de mercado que a empresa já está acostumada a atuar.

A empresa de alimentos Nestlé, com o seu direcionamento de marca preocupado com a boa alimentação e com o bem-estar da família, tem suas campanhas de responsabilidade social voltadas para o cultivo de uma vida saudável.

campanhas nestlé

Campanhas sociais realizadas pela empresa Nestlé

Entre tantos exemplos, vale ressaltar que todo esforço em prol do bem-estar da sociedade é bem-vindo, mas quando uma empresa direciona sua experiência em determinada área para uma ação social, os resultados tendem a ser bem mais produtivos, tanto para a empresa quanto para a campanha social.

Fonte: Natura / Nestlé

Share

Enxergando além do negócio

Enxergando além do negócio

Dentre tantos assuntos polêmicos (ou nem tanto) que estão em voga queremos destacar um, a pirataria na internet.

Calma! Não vamos começar com politicagem aqui, pois não é nosso objetivo. Queremos falar sobre outro ponto de vista, sobre a miopia em marketing.

Uma breve história:

Para quem não conhece, Miopia em Marketing foi um fenômeno descrito por Theodore Levitt na década de 1960. Neste artigo ele destacou o comportamento de algumas empresas que não conseguem identificar o real escopo de seu negócio. Ou seja, muitas empresas se focam no produto que vendem e não no cliente ou no serviço prestado. Um artigo incrível que permanece muito atual. É verdade que há certo tempo as empresas tomaram consciência da importância em perceber as necessidades do cliente e atendê-lo melhor. Mas quando se trata da visão de negócio, já não é um tema tão explorado.

 

Uma marca que conseguiu perceber muito bem seu negócio foi o Mc Donalds. O Subway apareceu como uma novidade em fast food com sanduiches mais saudáveis que o Mc Donalds. Não demorou muito para que as pessoas criticassem o famoso sanduiche dos arcos amarelos. Como resposta, o Mc Donalds mudou sua estratégia e passou a se colocar não como um restaurante fast food de sanduiches, mas como um restaurante de entretenimento com a criação dos personagens e a reformulação de suas lojas com playgrounds e espaços para criança. Eles perceberam um nicho de mercado que poderiam explorar sem se restringir ao seu produto.

Finalmente, a pirataria:

Pois bem! Se estamos falando de miopia em marketing, estamos considerando que todo produto ou serviço pode ficar obsoleto em algum momento da história. O mesmo está acontecendo com a pirataria. Não estamos defendendo a comercialização clandestina de nenhuma forma de arte, lógico. Na verdade a tecnologia avançou de tal modo que para as pessoas já não faz mais sentido ter que pagar para ouvir uma música ou assistir a um filme. Não vamos colocar esse comportamento em questão. Mas em se tratando de miopia em marketing, analisamos as gravadoras em todo este cenário. Se tem uma coisa que aprendemos, é que o avanço da tecnologia é capaz de deixar qualquer produto obsoleto, é o caso do disco de vinil, do filme fotográfico, entre tantos outros. O mesmo está ocorrendo com as mídias e cabe às gravadoras saírem do estigma de empresas que gravam CDs e DVDs e se colocarem como uma empresa de entretenimento, por exemplo.

Não queremos criticar ou aceitar nenhuma das partes, sinceramente. Colocamos em pauta um assunto antigo, mas tão atual que permite explicar todo este fenômeno. Mas e aí? Até que ponto o avanço tecnológico pode nos levar? É possível controlar isso com uma lei? Só o tempo dirá!

Colocamos este tema voltado para as gravadoras e a pirataria, mas qualquer empresa precisa estar atenta a mudanças no mercado, até as inesperadas. Você já parou para pensar nas possibilidades de obsolescência do seu negócio no futuro?!

Share

Logo Madri 2020

Logo Madri 2020

O engraçado da internet é que mal o logo de Madri para candidatura às olimpíadas de 2020 saiu na mídia, já havia inúmeros artigos a respeito.

Não vamos analisar muito profundamente, mas realmente não funcionou. Ao contrário dos comentários que pipocaram sobre a semelhança com um packshot da Havaianas, não acredito que este tenha sido o problema, uma vez que esta referência é muito brasileira e não cabe a todos os povos do mundo que vão estar em contato com este logotipo identificar. Mas esta é a magia da internet, abrindo as portas para todos discutirem sobre tudo.

O que não deu certo foi a própria solução da tipografia M20 que não ficou bem resolvida e as cores das olimpíadas que tiveram o preto substituído pelo rosa.

Mas é claro que a polêmica toda é bem maior do que as percepções das referências brasileiras. A discussão da agência que alterou o logotipo vencedor do concurso e até mesmo a acusação de plágio são alguns dos problemas que Madri vai ter que resolver para sua candidatura.

logo madri 2020 original

Logo original vencedor do concurso

 

 

Segue o logo para você tirar suas próprias conclusões:

logo madri alterado

Logo alterado pela agência

Share

A Dama de Ferro

A Dama de Ferro

“Watch your thoughts for they become words. Watch your words for they become actions. Watch your actions for they become… habits. Watch your habits, for they become your character. And watch your character, for it becomes your destiny! What we think we become.”

“Cuidado com seus pensamentos pois eles se tornam palavras. Cuidado com suas palavras pois elas se tornam ações. Cuidado com suas ações pois elas se tornam… hábitos. Cuidado com seus hábitos, pois eles se tornam seu caráter. E cuidado com seu caráter, pois ele se torna o seu destino! O que nós pensamos, nos tornamos. ”

 

Margaret Thatcher (Meryl Streep) – A Dama de Ferro

Share

Água em caixa

Água em caixa

Falando em sustentabilidade, uso do papel, meio ambiente, etc., veja que bacana esse conceito de embalagem de água em cartão reciclado.

Trata-se do projeto Boxed Water Is Better, que conta com 76% do material da embalagem vindos de recursos renováveis e 20% dos seus lucros investidos em água limpa e sustentável, bem como apoio às entidades que cuidam de manejo florestal responsável.

As caixas são recicláveis e menos agressivas ao meio ambiente, principalmente se compararmos com as embalagens de plástico ou vidro, por exemplo, e considerando alguns fatores, como o envio para o abastecimento com as caixas abertas, otimizando espaço e assim reduzindo o número de caminhões para o transporte das embalagens.

Uma ideia que reúne simplicidade, inovação, beleza e sustentabilidade.

E claro, sem falar do design da embalagem, minimalista, bem legível e intuitiva com a utilização de ícones, o que facilita a comunicação com o público.

Confira as imagens

 

embalagem "boxed water is better for the earth"

embalagem "boxed water is better for the earth"

 

 

embalagem "boxed water is better for the earth"

embalagem na gôndola

 

Fontes: Criatives / boxedwaterisbetter.com

Share

O verdadeiro papel do papel

O verdadeiro papel do papel

Muito se tem falado em sustentabilidade, boas práticas para o nosso planeta, sacolinhas plásticas, uso do papel, entre outros, mas pouco tem sido feito em relação à conscientização da população e a abertura de verdadeiros debates sobre o que é efetivamente sustentável e o que é mero modismo ou marketing.

A campanha criada pela agência África para o Itaú, de enorme sucesso, apresenta um vídeo de repercussão viral na internet, onde um pai rasga um documento e seu filho dá gargalhadas espontâneas a cada rasgo efetuado no papel. A campanha foi criada para conscientizar o consumidor a utilizar o papel “para o que realmente importa” e assim oferece a opção do cliente cancelar o recebimento impresso do extrato bancário mensal, recebendo-o somente pela internet.

A campanha é brilhante, atingiu seu objetivo na redução de impressão de extratos mensais, que, cá entre nós, realmente tem muito pouco de útil, mas deixa uma impressão de que o papel é um grande vilão nessa história toda e a verdade não é bem essa.

A Revista Super Interessante, da Editora Abril, publicou em sua edição de Dezembro/2011, uma matéria especial intitulada “Guia Verde Politicamente Incorreto”. Dentre os temas abordados, a matéria fez questão de esclarecer a existência de falsos vilões, mencionando a Indústria do Papel.

Há campanhas de conscientização explicando o real impacto do papel no meio ambiente realizada pela ABIGRAF  http://www.abigraf.org.br/. Ver campanha “Imprimir é dar vida”: http://www.imprimiredarvida.org.br/

imprimir é dar vida

Anúncio da campanha "Imprimir é dar vida"

No texto da revista, o autor explica que, embora derrubar um campo de futebol de floresta equivalha a emitir 500 toneladas de CO2, reflorestar esse mesmo terreno para produzir madeira e papel limpa a atmosfera.

“A lógica é simples: ao crescer, a árvore absorve CO2, fazendo o famoso sequestro de carbono, que é armazenado na celulose usada para a produção de papel”.

Outra informação interessante apresentada pela matéria é a relação da balança de emissão de CO2 pela indústria do papel e o quanto suas florestas absorvem de CO2.

“No Brasil, a indústria de celulose emite 21 milhões de toneladas de CO2, mas as florestas plantadas de pinus e eucalipto sequestram 64 milhões de toneladas de CO2. Ou seja, essa conta dá superávit – a plantação mais limpa do que polui. E tem um detalhe, enquanto cresce, uma floresta capta muito mais CO2 do que quando chega à maturidade”.

No final da matéria, o texto ainda enfatiza que, o papel utilizado no Brasil, não vem do desmatamento de mogno da Amazônia, mas da colheita de eucalipto e pinus de florestas plantadas, especialmente, no Sudeste e Sul do país. Santa Catarina é o terceiro maior produtor de papel do Brasil (19%), ficando atrás somente do Paraná (21%) e São Paulo (44%). No Brasil todo papel produzido é proveniente de florestas plantadas para este fim.

Sem dúvida que, quanto mais conscientemente utilizarmos os recursos naturais do nosso planeta, mais reduziremos os impactos ambientais. Mas nem sempre é muito claro quem são os verdadeiros vilões e quais são as melhores alternativas para colocarmos em prática a idéia de sustentabilidade, utilizando-a como verdadeira aliada do nosso planeta e não somente como um adjetivo para negócios e empresas em campanhas de marketing.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Fontes: Revista Super Interessante / Abigraf Santa Catarina

Share

Viva Mais Thai!

Viva Mais Thai!

logotipo thai express

Quando perguntamos “Você já comeu comida tailandesa?!”, é comum ouvirmos respostas do tipo “Ah, é tipo peixe cru”, “Nossa deve ser estranho”, “Essa comida é cara”. São respostas comuns para uma cultura que ainda não estamos familiarizados.

Para isso que o Thai Express trouxe uma novidade ao mercado culinário. Um restaurante de comida tailandesa que busca divulgar e expandir esta cultura tão rica, aqui no Brasil. Como eles fazem isso? Primeiro que a proposta desta marca é ser um restaurante de comida tailandesa fast food, uma inovação para uma culinária que se concentra em restaurantes de luxo. Outro aspecto é que eles trazem pratos tipicamente tailandeses, mas com a cara do Brasil e bem comuns ao paladar do brasileiro. E por último, mas não menos importante, é uma comida saudável e saborosa!

Começamos a trabalhar com o Thai Express quando a empresa tinha apenas um ano de vida. Elaboramos sua identidade visual explorando este conceito da cultura tailandesa, trazendo as cores vibrantes que fazem parte dos pratos e imagens que representam o país. Ao estudarmos os costumes do país descobrimos um festival, o Loy Krathong, em que coroas são lançadas na água em homenagem aos espíritos do rio e lanternas feitas de papel de arroz flutuam no ar com o calor de velas acesas em seu interior. Inspiramo-nos na beleza deste evento e criamos um símbolo que representasse estas coroas e lanternas e seus movimentos no rio e no céu. Com o slogan Viva mais Thai a marca busca valorizar uma vida mais saudável e mais agradável mesmo na correria do dia a dia.

Dessa forma, a marca expressa a cultura tailandesa, sua riqueza e variedade de sabores.

Share

ruffles e o saco de ar

ruffles e o saco de ar

Já há certo tempo, começaram a aparecer posts e imagens nas redes sociais criticando a quantidade de ar que havia nos saquinhos dos salgadinhos. Como tudo na internet, a brincadeira pegou e revelou uma opinião bem crítica do consumidor, sem que fosse necessária nenhuma pesquisa de público para descobrir. Nesse ponto as redes sociais ajudam, não há como negar.

ruffles saco de ar

imagem divulgada nas redes sociais

Aproveitando este momento, a marca Ruffles achou uma maneira bem criativa de acabar com o mal entendido. A marca publicou em seu site um infográfico explicando o porquê da quantidade de ar dentro do saquinho, que funciona como uma espécie de airbag das batatinhas.

Veja abaixo o infográfico:

infográfico ruffles

infográfico publicado no site da empesa

Como certeza esse foi um exemplo da boa utilização da internet. Fica a dica para as empresas que pretendem se engajar no universo das redes sociais e ainda não sabem como fazer ou não conseguem obter algum resultado. Ainda que a iniciativa tenha dividido opiniões, essa foi uma ação bem elaborada e criativa que percebeu da melhor maneira o comportamento de seu público-alvo e soube tomar uma posição a respeito do assunto.

Share

design estratégico

design estratégico

Existem inúmeros termos novos dentro do universo do design e muitas vezes são palavras diferentes que querem dizer a mesma coisa.

Design estratégico é fácil de perceber, design+estratégia.

E daí?

Pois é, design antigamente era visto quase como uma forma de arte, todo mundo tinha um primo, amigo ou vizinho que sabia desenhar bem e todos indicavam para que ele fosse designer. Atualmente este termo já tomou outra proporção e para o Design não basta mais desenhar bem. O que se entende pela palavra design é um processo que vai além da forma e da função de algum objeto, ele intervém em favor do meio ambiente, aprimora as funcionalidades de um produto, facilita a comunicação, entre tantas outras funções que o design pode agregar a uma empresa, produto ou serviço.

É por isso que o termo design estratégico agora faz todo o sentido, é o design pensado estrategicamente para funcionar considerando o mercado, o cliente, o produto e todas as partes que envolvem um negócio e a sociedade em que está inserido.

Design Estratégico não é um novo método ou um termo carregado de modismos. Design Estratégico é um processo que sempre existiu e é a forma como o design deve ser pensado para trazer vantagens para o negócio, para o cliente, para a empresa e, claro, para a sociedade.

Share